A autora sacou um revólver calibre 22 e efetuou um disparo contra a cabeça da vítima, que faleceu após ter dado entrada no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

21 de Fev / 2017
A Polícia Civil de Caldas Novas efetuou, na noite de segunda-feira (20), o cumprimento do mandado de prisão temporária em desfavor de Lucilene Clemente de Oliveira (foto), 34 anos, investigada pela prática do homicídio qualificado de Dimas de Carvalho Silva, 31 anos. O crime ocorreu no dia 15 de janeiro deste ano.



Segundo investigações, a autora e a vítima estavam em um bar no Setor Mansões das Águas Quentes, em Caldas Novas. Uma discussão teria se iniciado entre ambos. A autora sacou um revólver calibre 22 e efetuou um disparo contra a cabeça da vítima, que faleceu após ter dado entrada no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).
Alguns dias após o fato, a autora se apresentou espontaneamente na Delegacia de Caldas Novas sem, contudo, apresentar a arma utilizada no crime. Posteriormente, a Polícia Civil apurou que Lucilene passou a intimidar algumas testemunhas e parentes da vítima, o que motivou o pedido de sua prisão temporária.

No momento do cumprimento da medida judicial, um simulacro de arma de fogo e dezenas de munições calibre 22, o mesmo calibre utilizado por Lucilene para matar Dimas, foram encontrados na residência da autora. Por essa razão, ela foi autuada em flagrante pelo crime de posse ilegal de munições, cuja pena pode variar de um a três anos de detenção.
Se condenada pelos crimes de homicídio qualificado e posse irregular de munições, a investigada poderá pegar pena de cerca de 30 anos de reclusão.


Fonte: Polícia Civil do Estado de Goiás
   
 








Create Account



Log In Your Account