Segundo relatos de alguns internos, existia maus tratos, falta de alimentação, cárcere e internação involuntária

05 de Mai / 2017
Na tarde quinta-feira (05) o Ministério Público, Conselho Tutelar, Vigilância Sanitária Estadual e Municipal, Polícia Civil e Militar e outros agentes governamentais efetuaram a interdição do Centro Terapêutico Mateus 4 em Pires do Rio, segundo relatos de alguns internos, existia maus tratos, falta de alimentação, cárcere e internação involuntária. O proprietário do local não estava no momento da interdição, O Ministério Púbico já havia interditado o local no dia 04 de agosto de 2016, onde o motivo foi de internação involuntária e situação irregular funcional que até o momento não havia sido regularizada.



Internos

Cerca de 17 internos mesmo com o portão aberto não saíram da clínica, um rapaz disse que não sairia pois na rua, voltaria para o mundo das drogas, e na clínica ele recebia bom atendimento alegou que não existia maus tratos, "Ninguém aqui me encostou a mão". Já um outro interno confirmou ao Lista Pires do Rio que realmente existia espancamento, maus tratos e um esquema de dopagem chamado "danone".
Três pacientes haviam saído da clínica no momento da interdição, ligaram para a direção da clínica depois de 2 horas pedindo para retornar. 

Auto de Interdição

Segundo o Auto liberado pelo Ministério Público, Fica o representante da Instituição supracitada Ciente da:

1- Interdição do Estabelecimento por prazo Indeterminado ate sua regularização da sua situação funcional perante a Superintendência de Vigilância em saúde em Goiânia 

2- O responsável pela instituição deverá proceder o encaminhamento dos 38(trinta e oito) residentes maior de idade, 05 (cinco) residentes menores de idade, para uma instituição devidamente licenciada os respectivos tratamento ou para os seus respectivos responsáveis (familiares) 

3-  Os encaminhamentos dos residentes deverão ser realizados e monitorados por técnicos da Secretaria da Promoção Social local e representante da instituição, no prazo de 15 dias, e que durante os encaminhamentos, devem ser informado/ comunicado ao Ministério Público local. 

Familiares

Alguns familiares ao saberem da interdição foram ao local, a mãe de um interno menor de idade que foi liberado, disse ao Lista que seu filho precisa de ajuda, e que só a clínica que conseguiu ajudar, ontem o menor foi liberado por autorização de uma tia. Veja alguns depoimentos:









Create Account



Log In Your Account